© 2019 AUDTAX | AUDITORIA E COMPLIANCE. ORGULHOSAMENTE BRASILEIRO.

comercial@audtax.com.br |    Av. Paulista, 1765, 7°A - Conj. 72 C - São Paulo, SP

                                      Av. Barão Rio Branco, 26 - Rio de Janeiro, RJ

                                   Rua Evangelista de Lima, 931 - Franca, SP 

                                   5301 Conroy Road, Suite 140 - Orlando, FL

  • Facebook - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Regime de Caixa e Competência: Expectativas e Realidade

June 24, 2015

Vários empresários  não se aventuram na leitura mais aprofundada sobre os conceitos de finanças empresariais por considerar o tema  demasiadamente complexo. Mas para garantir uma boa interpretação da situação financeira da empresa, alguns conceitos são extremamente importantes.

 

Vamos falar um pouco sobre um conceito financeiro muito importante: a diferença entre os chamados  “Regime de Caixa” e  “Regime de Competência”.

 

 

Regime de Caixa é o regime contábil que apropria as receitas e despesas no período de seu recebimento ou pagamento, independentemente do momento em que são realizadas.

 

A regra geral é a seguinte:

 

1) Uma despesa é considerada Despesa Incorrida quando é efetivamente paga, não dependendo do momento em que foi realizada.

 

2) Uma receita é considerada Receita Ganha quando é recebida, independente do momento em que foi realizada.

 

Exemplos:

 

  • Suponhamos que a assinatura anual de um jornal tenha custado  R$ 120,00. Esta quantia foi paga para a editora em 4 vezes sem juros de R$ 30,00.

No Regime de Caixa, os valores pagos, serão considerados no momento de seu pagamento, ou seja,

R$ 30,00 por mês.

 

  • Vamos supor que houve a venda de um bem para pagamento futuro. No Regime de Caixa, a receita só será considerada "ganha" quando for recebida, ou seja, no dia em que a parcela correspondente, for quitada pelo cliente.

 

Regime de Competência  é o método de registro de lançamentos contábeis, que é realizado no período de competência da receita ou despesa realizada. Caso uma empresa tenha feito uma despesa no mês de julho para pagar apenas em setembro, o registro contábil será efetuado em julho, sendo esse o mês de competência da despesa. O termo Regime de Competência significa que independente da data do pagamento ou recebimento dos valores monetários, de uma receita ou despesa, a mesma será registrada na data e mês exatos da transação efetuada.

 

Como exemplo podemos citar uma compra de mercadorias a prazo:

 

Se a compra ocorreu no mês de janeiro com pagamento em fevereiro, a despesa deverá constar nos registros de janeiro, embora o pagamento seja feito em fevereiro.

Contabilmente, em janeiro, computa-se a despesa e como contra-partida, cria-se uma obrigação  no contas a pagar. Em fevereiro, por ocasião do pagamento, deduz-se o valor pago do contas a pagar e reduz-se o valor do caixa.

 

O Regime de Caixa possui o inconveniente que é a falta de previsão do futuro e é mais usado com finalidade gerencial.

O Regime de Caixa é o oposto ao Regime de Competência, pois considera as saídas e entradas de caixa como "gatilho" para o registro contábil da transação. Trata-se de um sistema utilizado em microempresas ou somente com objetivo gerencial, enquanto o Regime de Competência melhor atende ao Princípio Contábil  de Competência.

 

No Brasil, após a escolha do Regime de Caixa ou Competência, este deverá ser mantido por todo o ano, não sendo permitida mudança durante o ano base. 

 

Para realizar a medição dos resultados de uma empresa, o mais comum e recomendado é que seja utilizado o Regime de Competência, que considera as vendas efetuadas e as despesas realizadas, bem como a depreciação, que no Regime de Caixa não é considerada. O Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE), um dos mais importantes relatórios de gestão de uma empresa, é confeccionado pelo Regime de Competência. Através deste relatório podemos saber se uma empresa teve lucro ou prejuízo em um determinado período de tempo.

 

O Regime de Caixa também é muito importante. É através dele que são confeccionados os demonstrativos financeiros da empresa, como por exemplo o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC), outro dos três demonstrativos essenciais para gestão. Este relatório nos mostra as entradas e saídas de dinheiro da empresa, e é através dele que constatamos como está a saúde financeira da organização.

 

Muitas vezes, a companhia pode ter um grande volume de vendas e produtos com boas margens, apresentando lucro no DRE, porém, seus processos de pagamentos e recebimentos podem estar mal dimensionados, ficando assim sem disponibilidade de dinheiro em caixa, e isso é obtido exatamente pela leitura do DFC.

 

Um exemplo bastante simples, mas que nos ajuda a ilustrar a diferença entre Regime de Caixa e Regime de Competência, é o uso do cartão de crédito pessoal.

Imagine uma pessoa com um salário mensal de R$ 2.000.00 , que gastou R$ 800,00 em seu cartão de crédito,  em várias compras ao longo do mês. O cartão desta pessoa vence no dia 01 do mês seguinte.

Esta será então a data do Regime de Caixa, ou seja, quando a pessoa fará o desembolso do valor para quitar sua fatura. Já a data onde cada compra foi realizada no decorrer do mês, é a Competência das despesas, ou seja, a data onde houve o fato gerador de cada despesa. 

 

Outro ponto importante neste caso, é o equilíbrio que citamos anteriormente. Neste exemplo, a pessoa tem R$ 2.000,00 de recebimentos e R$ 800,00 de pagamentos, ou seja, se fôssemos analisar através de um DRE seria apresentado lucro de R$ 1.200,00. Porém, imagine que esta pessoa receba seu salário no dia 07. Como seu cartão vence no dia 01, esta pessoa ficaria 6 dias em dívida com o pagamento do cartão, o que se analisássemos através do DFC, nos mostraria uma falha,  uma deficiência de caixa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

BC limita tarifa de uso do cartão de débito para reduzir custos no comércio

September 27, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo